O PILAR

Na margem do Ebro surge a Basílica do Pilar, um dos santuários mais importantes da religião católica. A Virgem do Pilar, patrona da hispanidade, é venerada por milhares de peregrinos e pessoas vindas de todos os cantos do mundo. Como se trata de um santuário urbano, situado no centro de Saragoça, o Pilar é uma paragem obrigatória para todos aqueles que visitam a cidade. As torres e as cúpulas modelam a sua figura exterior, reconhecida a partir de qualquer ponto da cidade. O atual santuário, tal como se conhece, é fruto de séculos de história e diferentes construções e alterações.

A Basílica

Segundo a antiga tradição, na noite de 2 de janeiro do ano 40 “a Virgem Maria veio em carne mortal a Saragoça para confortar o Apóstolo Santiago, que predicava o Evangelho nas margens do rio Ebro”, deixando-o como testemunho numa coluna. Sobre a coluna, o Pilar, que trouxe a Virgem na sua visita foi construída a primeira capela, convertendo-se assim no primeiro templo mariano da cristandade.

O atual templo barroco de grandes dimensões, próprias das construções bizantinas, confere um traço majestoso ao monumento. O resultado final é um edifício imponente, graças ao volume e magnitude do conceito, à policromia das suas cúpulas, à elegância da arquitetura e às suas singulares formas.

Em 1904 a basílica foi considerada monumento nacional mas, também, possui o título de “Basílica Menor” (só as quatro basílicas da cidade de Roma são consideradas “Maiores”) desde 1948 e de catedral desde 1675.

 

O seu interior é solene e conta com uma enorme beleza, um imponente Retábulo-mor, obra do plateresco, pertencente ao mestre DamiánForment.
Diante do retábulo situa-se o coro, um dos mais belos de Espanha, e o órgão que completa este magnífico conjunto.
Um dos sítios mais destacados do interior da basílica é o cruzeiro. Encontra-se atrás do camarim da Santa Capela e conta com um vão aberto na parede onde está a Santa Coluna, através de um pequeno oval, ao qual acodem os fieis, peregrinos e devotos com o intuito de a beijar. Gesto que o papa João Paulo II realizou aquando da sua visita a Saragoça, a 10 de outubro de 1984.

As pinturas das cúpulas foram realizadas por conceituados mestres da época e constituem uma excelente representação pictórica. A maioria pertence a FranciscoBayeu e a Francisco de Goya.

No coração da basílica está a Santa Capela, um pequeno templo dentro do grande tempo, que guarda no seu interior a imagem da Virgem do Pilar.
O espaço dedicado à exaltação da Virgem possui um desenho e conceção barroca de influência italiana.
Trata-se de uma obra magnífica já que a imagem colocada sobre a Santa Coluna está no meio e é o centro da atenção da capela.
É o lugar para o qual convergem todos os olhares.

 

 

Hoje em dia, os Infantes do Pilar (coro musical de meninos entre os oito e os doze anos) recebe centenas de meninos diante da Virgem para que possam ser abençoados.

No interior da basílica acede-se ao Museu Pilarista, um espaço onde é possível visitar uma seleção de arte religiosa e joias oferecidas à Virgem, entre os quais se destaca uma amostra dos melhores mantos, objetos e adornos (atualmente fechado).

A imagem de Nossa Senhora do Pilar

A imagem da Virgem do Pilar é uma talha de madeira dourada de meados do século XV com 36 centímetros de altura, executada de acordo com os cânones do gótico tardio. É uma representação de Maria como Rainha e Mão coroada. O menino Jesus, por sua vez, irradia inocência e ternura. Está sobre uma coluna de jaspe forrada de prata e, segundo a tradição, a coluna nunca esteve noutro lugar desde do dia em que Maria a visitou. A Virgem do Pilar, Patrona da Hispanidade, ffoi umas das primeiras cinco imagens marianas espanholas a receber a coroação canónica.

 

Os mantos que todos os dias cobrem a imagem reúnem as emoções e sentimentos daqueles que fazem os donativos, as suas ilusões, as suas preocupações e o seu agradecimento.
Por isso, o objetivo dos mantos é ornamentar a imagem da Virgem
com uma expressão de amor, devoção e agradecimento.
O manto mais antigo data de 1762 e, atualmente, está guardado.

As cores dos mantos têm um significado: o branco é usado na Páscoa e nas solenidades de festas do Senhor. O verde é utilizado no tempo ordinário. O castanho marca o tempo do advento e da quaresma.
O azul as festas da Virgem. E o vermelho, representa as memórias, e é usado nas festas dos santos mártires.

A oferenda de flores

Um dos momentos mais especiais e emotivos é a oferenda de flores à Virgem, que se celebra no dia 12 de outubro. Nessa ocasião, milhares de pessoas desfilam perante a Sagrada Imagem para depositar aos seus pés as flores que formarão o seu grande manto. É uma celebração de carácter internacional.

Goya no Pilar

Francisco de Goya, um dos maiores pintores de todos os tempos, um génio que apareceuna história da pintura com um estilo próprio e rompedor, tornando-se merecedor de um lugar destacado entre os grandes mestres. Junto a Velázquez e Picasso forma a grande tríade de pintores espanhóis. Nasceu em Fuendetodos, uma pequena aldeia situada a 45 quilómetros de Saragoça. A Casa Natal de Goya, declarada monumento histórico nacional, e o museu da Gravura são visitas obrigatórias para conhecer a figura de Goya.

O artista destacou-se como pintor religioso e as pinturas que se podem contemplar nas cúpulas interiores da Basílica do Pilar constituem um valioso exemplo disso. Dois grandes frescos mostram a força e a expressividade da pintura do genial pintor aragonês.
Outra mostra é, “A adoração do nome de Deus”, também conhecida como a pintura do templete, porque se situa da abóbada do templete situada diante da Capela da Virgem do Pilar. Este fresco, de evidente influência italiana, contém um modelado suave e formas cuidadas.

 

Por sua vez, a impressionante abóbada “Regina Martyrum”,
que representa a Virgem Maria rodeada pelos santos mártires
aragoneses, é uma pintura inovadora e imaginativa, uma das
suas obras religiosas mais importantes.
Porém, quando foi finalizada, recebeu duras críticas.

Horários

Horários de abertura e fecho da basílica
Das 6.45 às 20.30 h. (de segunda-feira a sábado) e das 6.45 às 21.30 h. (domingo)


Horário da missa
Dias úteis, manhã e tarde: 8, 9, 10, 11, 12 e 13 h.
Dias úteis, tardes: 17, 18, 19 e 20 h.

Sábados e véspera de feriados: 8, 9, 10, 11, 12, 17, 18, 19 e 20 h.

Domingos e feriados, manhãs: 8, 9, 10, 11, 12, 13 e 14 h.
Tardes: 17 (não julho e agosto), 18, 19, 20 e 21 h.


Visita panorâmica à torre
De segunda a quinta feira, de 10:30-14:30 e 16:30-20:30 h.
De sexta feira a domingo, de 10:00-20:30 h.


Confissões:
serviço permanente

Contato

Endereço: Praça do Pilar, 19, 50001 –  Saragoça (Espanha)

Para atenção a grupos de peregrinos, reservar missas ou realizar outras petições relacionadas com o santuário, entre em contacto com:
cabildo@cabildodezaragoza.org
Tf. +(34) 976 29 95 64 – Fax +(34) 976 20 07 52
Arquidiocese-O Pilar

ASSOCIAÇÃO PARA PROMOVER A ROTA MARIANA

A APRM é uma associação sem fins lucrativos formada pelos santuários do Pilar, Torreciudad, Montserrat, Lourdes e Meritxell, que tem por objetivo promover a rota, os templos marianos e os conjuntos históricos, artísticos e naturais situados nas regiões onde se situam os referidos santuários.

POSTO DE PROMOÇÃO

C/ Cádiz 12
50004 – Saragoça (Espanha)
+34 976 794 225

Site financiado por:

Colaboram:

C
.

Este sitio web utiliza cookies para que usted tenga la mejor experiencia de usuario. Si continúa navegando está dando su consentimiento para la aceptación de las mencionadas cookies y la aceptación de nuestra política de cookies, pinche el enlace para mayor información.plugin cookies

ACEPTAR
Aviso de cookies